Fernando KasKais Photography

A Arte de Aceitar o “Fracasso” Enquanto Fotógrafo

© FERNANDO KASKAIS

A Internet dá a ilusão a muitos, de que todos podem ser “alguém”. Certamente que abriu a porta a alguns, mas, a dura verdade é que a maioria dos aspirantes a artistas (incluindo os fotógrafos), passam despercebidos durante parte da sua vida, mesmo com o grande poder da Internet, e das redes sociais. E o sucesso tem que ser para ontem. Ao contrário do desporto, a arte é mais complicada na definição da precocidade. Não demora muito para perceber se uma criança, tem potencial para ser um bom atleta, seja no futebol, no ténis ou, em outra modalidade qualquer. Na arte, no entanto, é muito mais difícil chegar a uma conclusão tão precoce, as capacidades dos artistas desenvolvem-se com o tempo.

Às vezes pergunto-me por que é que as pessoas buscam o sucesso em primeiro lugar, por que querem á viva força, ser “alguém”. Na verdade, é muito mais fácil, e mentalmente mais saudável, manter a nossa arte como um processo de auto-satisfação e evolução pessoal. É isso que faço, desde que comecei a fotografar, há quase 50 anos atrás, mas, sei que a maior parte das pessoas têm um profundo desejo de reconhecimento, instintos competitivos, e muitas vezes egos enormes, que as fazem querer ir além da auto-satisfação e serem reconhecidas pelos outros.

Porém, ao atingir uma certa idade, a maioria, provavelmente, perde o desejo de ser “alguém”, embora essa idade varie de pessoa para pessoa. Pode ser aos 40, aos 50, ou mesmo 60 anos, que alguns vão perdendo as esperanças, quando ganham a plena consciência de que o tempo não está a seu favor. Então, quando ficamos mais velhos, e deixamos de lado o desejo de reconhecimento, os egos, etc., vamos recuperando um certo estado de espírito, tal como uma criança, e simplesmente desfrutamos do que fazemos, o que pode ser uma benção para muita gente.

“Um homem que envelhece torna-se criança novamente.” Sófocles

E, como as crianças começam a desenhar (ou a fazer qualquer género de arte que lhes interessa), porque gostam simplesmente, e não por causa da fama que podem obter, ou do dinheiro que podem ganhar, assim, recomeçamos a fotografar, independentemente de obter ou não reconhecimento, porque simplesmente adoramos a fotografia. Não são apenas as imagens finais aquilo que me dá prazer, mas, também o tempo gasto em tirar as fotos e a editá-las. É em todas as etapas do processo, que me divirto. No final, o “fracasso”, ou o “sucesso”, não me interessam, pois, a minha paixão pela fotografia, e pelo prazer que ela me proporciona, está muito além do “sucesso” ou do “fracasso”. Aliás, a minha mente funciona melhor, quando os recursos são reduzidos, e, a ambição é nula.

F. Kaskais Photography

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this:
close-alt close collapse comment ellipsis expand gallery heart lock menu next pinned previous reply search share star